O bibliotecário como agente cultural: experiência vivida na biblioteca Argentina Lopes Tristão de Domingos Martins (ES)

Meri Nadia Marques Gerlin, Welington Barcellos

Resumo


Relatar experiência sobre o planejamento de atividades culturais a partir das ações da Biblioteca Pública do município de Domingos Martins no Espírito Santo, vivenciada pela bibliotecária dessa instituição, torna-se objetivo desta comunicação. Trata-se de uma pesquisa descritiva que assumiu os contornos de um estudo de caso, para tanto, utilizou-se de um questionário estruturado com a finalidade de realizar entrevistas com a gestora cultural da Biblioteca Pública Argentina Lopes Tristão. Os resultados demonstraram que a bibliotecária inicialmente trabalhou no planejamento de um momento de animação cultural, cujo objetivo era o entretenimento durante a implantação do projeto. Diante da postura profissional de quem realizou um projeto de ação cultural, a bibliotecária se coloca como agente cultural, permitindo, apesar das dificuldades encontradas pelo caminho, que o projeto tivesse uma imagem positiva perante a sociedade que recebeu o projeto de braços abertos. O projeto também despertou o interesse pela leitura da comunidade em geral e, assim, a biblioteca passou a ser mais vista pela sociedade, tendo visibilidade. Com isso, tornou-se possível concluir que este estudo deve servir de modelo para profissionais da área cultural e para os sujeitos da academia continuarem as investigações no âmbito desta temática que não se esgota com a realização desta pesquisa.

Palavras-chave


Atividade bibliotecária; Ação Cultural; Agente cultural; Gestão cultural.

Texto completo:

PDF


Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis (Brasil) - ISSN 1414-0594

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.