Conhecimento das margens: da injustiça epistêmica à valorização do conhecimento negro em Biblioteconomia e Ciência da Informação

Autores

Palavras-chave:

Injustiça epistêmica, Epistemicídio, Diversidade Epistêmica, Epistemologia, Educação bibliotecária.

Resumo

Este artigo parte da seguinte pergunta: Como o epistemicídio do conhecimento negro é operado na esfera epistêmica e educacional bibliotecária? O objetivo é abordar a construção do epistemicídio do conhecimento negro em Biblioteconomia e Ciência da Informação (BCI), especialmente, na esfera epistêmica e ensino bibliotecário. Parte dessa abordagem para evidenciar estratégias que promovam a diversidade epistêmica nas esferas citadas. Trata-se de um estudo teórico, de cunho bibliográfico e documental, construído de recursos informacionais presentes na literatura científica do campo biblioteconômico-informacional e outras áreas do conhecimento. A fundamentação teórica está estruturada articulando conceitos como epistemicídio, injustiças epistêmicas e conhecimento em BCI. Por fim, o estudo apresenta quatro estratégias de promoção da diversidade epistêmica no campo biblioteconômico-informacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franciéle Carneiro Garcês da Silva, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina (PPGInfo/UDESC). Doutoranda no Programa de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestra em Ciência da Informação (IBICT/UFRJ). Bacharela em Biblioteconomia (UDESC). Representante discente ANCIB - Gestão Plural (2020-2022). Idealizadora e gestora do Quilombo Intelectual. Coordenadora do Selo Nyota e do Grupo de Trabalho Relações Étnico-raciais e Decolonialidades, vinculado à FEBAB. Compõe o quadro de integrantes do Grupo de Pesquisa Ecce Liber: Filosofia, linguagem e organização dos saberes como membro do Satélites em Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos (O²S².sat). Integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI) e do Núcleo de Estudos sobre Performance, Patrimônio e Mediações Culturais (NEPPaMCs). Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social (CAPES-DS).

Dirnéle Carneiro Garcez, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Doutoranda em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (PGCIN-UFSC). Mestra em Ciência da Informação (PPGCIN/UFSC). Bacharela em Administração pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI. Integrante do Grupo de Pesquisa Ecce Liber: Filosofia, linguagem e organização dos saberes como membro do Satélites em Organização Ordinária dos Saberes Socialmente Oprimidos (O²S².sat) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Recursos, Serviços e Práxis Informacionais (NERSI). Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social (CAPES-DS).

Rubens Alves da Silva, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Antropólogo e Professor da Escola de Ciência da Informação, na Universidade Federal de Minas Gerais. Docente no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação. Coordenador do NEPPaMCs -  Núcleo de Estudos sobre Performance, Patrimônio e Mediações Culturais da UFMG.

Downloads

Publicado

2022-06-22

Como Citar

Silva, F. C. G. da, Garcez, D. C., & Silva, R. A. da. (2022). Conhecimento das margens: da injustiça epistêmica à valorização do conhecimento negro em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Revista ACB, 27(1), 1–19. Recuperado de https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1885