O “corpus documental” como indício do pensar e fazer o trabalho em uma instituição de leitura: a Biblioteca Pública de Santa Catarina (1980 – 2008) <p> The "documentary corpus" clue of how to think and do the work in an institution of reading ...

Autores

  • Gisela Eggert Steindel UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA
  • Luciane Gonçalves Toledo UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Resumo

Esse artigo apresenta uma discussão do “corpus documental” da Biblioteca Pública de Santa Catarina, dados resultantes de uma pesquisa em andamento. Esta investigação se inscreve nos estudos da História Cultural na clave do campo da Educação e adota procedimentos etnográficos a partir do campo da Antropologia. Trata-se de um estudo descritivo quanti – qualitativo que tem por fontes o conjunto documental dessa Biblioteca. Os relatórios objeto desse artigo compreendem o período de 1980 a 2008. Como indício, esse estudo apresenta uma descrição da materialidade dos relatórios, um olhar sobre a escrita institucional dos trabalhos efetuados pelos funcionários por quase 30 anos e uma reflexão teórico-metodológica do documental enquanto registros administrativos com valor informativo de uma instituição cultural quer pública ou privada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gisela Eggert Steindel, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Luciane Gonçalves Toledo, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

Downloads

Publicado

2010-09-08

Como Citar

Eggert Steindel, G., & Toledo, L. G. (2010). O “corpus documental” como indício do pensar e fazer o trabalho em uma instituição de leitura: a Biblioteca Pública de Santa Catarina (1980 – 2008) <p> The "documentary corpus" clue of how to think and do the work in an institution of reading . Revista ACB, 16(1), 308–324. Recuperado de https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/753