Biblioteca prisional e a leitura nos espaços de privação de liberdade

Autores

  • Amabile Costa Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Camila Monteiro de Barros Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Palavras-chave:

Biblioteca prisional. Leitura. Espaços de privação de liberdade. Cárcere.

Resumo

O trabalho enfatiza o papel das bibliotecas prisionais na mediação da leitura e da informação. Essas bibliotecas são unidades que disponibilizam às pessoas privadas de liberdade o acesso à informação e, consequentemente, dão suporte ao desenvolvimento humano e à geração de conhecimentos que podem proporcionar a conscientização tanto dos reeducandos quanto da comunidade carcerária como um todo a respeito de aspectos sociais, religiosos, pessoais, culturais, literários, entre outros. Evidencia, também, a atuação dos bibliotecários no âmbito dos espaços de privação de liberdade, apresentando os papéis das bibliotecas prisionais, bem como sua competência. Conclui que a democratização do acesso à informação nos espaços de privação de liberdade é tema relevante e papel inerente às bibliotecas prisionais. Também aponta que as diretrizes a serem seguidas por esse tipo de biblioteca, como serviços e desenvolvimento de coleções, são diferentes daquelas seguidas por outras unidades e informação, dadas as características do contexto em que atua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amabile Costa, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). É Bacharela em Biblioteconomia - Habilitação em Gestão da Informação (2014-2017) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Bolsista CAPES de Desenvolvimento Social. É membro da equipe gestora 2018-2020 da Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB), ocupando o cargo de Diretora de Marketing e Divulgação. Voluntária no Programa Novos Horizontes: a Universidade nos espaços de privação de liberdade. É membro do Grupo de Pequisa Representação e Organização do Conhecimento (ROC - UFSC).

Camila Monteiro de Barros, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professora do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFSC. Doutora e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina, graduada em Biblioteconomia pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Líder do Grupo de Pesquisa Representação e Organização do Conhecimento (ROC). Atua principalmente nas áreas de Organização e Representação do Conhecimento e da Informação, com ênfase na informação musical e na Semiótica de Peirce.

Downloads

Publicado

2019-08-20

Como Citar

Costa, A., & Barros, C. M. de. (2019). Biblioteca prisional e a leitura nos espaços de privação de liberdade. Revista ACB, 24(2), 427–436. Recuperado de https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1602